terça-feira, 30 de março de 2010

Como consertar produtos fora da garantia


Infelizmente quando acaba a garantia de um produto, acaba também qualquer “lua de mel” que possa ter havido entre nós e o fabricante. Neste momento somos entregues a própria sorte. Saiba como consertar o seu produto sem gastar um absurdo.


PORQUE MUITAS ASSISTÊNCIAS TÉCNICAS COBRAM UM ABSURDO

            A nomeação de Assistências Técnicas pelo fabricante segue a seguinte lógica: o fabricante paga pouco para a Assistência Técnica nos consertos dentro do prazo de garantia, mas em compensação a Assistência Técnica esfola os clientes depois que a garantia termina. O fabricante faz vista grossa para esta extorsão, até porque se você desistir do conserto, até é bom, pois significa que você terá que comprar um produto novo.

            O fabricante pelo seu lado também se aproveita desta mesma lógica e cobra das Assistências Técnicas pelas peças de reposição algo próximo do dobro da margem usada para um produto novo. Isto é, teoricamente se a Assistência Técnica montar um produto novo a partir das peças compradas, só de peças o produto custaria o dobro.

 QUAL O CRITÉRIO DE COBRANÇA DA MAIORIA DAS ASSISTÊNCIAS TÉCNICAS

            Independente do defeito o critério de cobrança é 50% do preço do produto novo dependente do nível de renda da região atendida e da cara do freguês. Portanto espere um valor alto sempre que for numa área rica da cidade e você tiver uma aparência abastada.

UM CASO REAL COM UM CELULAR MOTOROLA NEXTEL

            Recentemente tive uma experiência interessante neste sentido. Um telefone celular Motorola Nextel caiu e quebrou somente o vidro do visor, mas com ele funcionando perfeitamente, inclusive o visor. No caso de telefones Nextel a assistência não é oferecida pelo fabricante, mas sim pela própria Nextel.

Fui para a Nextel mais próxima da minha residência e o orçamento para conserto foi de R$ 650,00 para um celular novo que custa R$ 899,00. Fui para um mercado popular que existe no Rio de Janeiro na Uruguaiana e consegui consertar o aparelho com um visor original, ainda protegido no plástico, por R$ 80,00, e ficou perfeito.

COMO ENTÃO CONSIGO CONSERTAR UM PRODUTO

            Para consertar um produto siga então os seguintes procedimentos:

1)     Ao deixar um produto numa Assistência Técnica retire todas as partes removíveis, tipo bateria, memória, etc. Isto garante que elas não sejam trocadas por uma usada ou de pior qualidade. Ainda assim existe o risco de serem retiradas ou trocadas outras peças dentro do seu produto;
2)     Jamais deixe que o conserto seja feito sem um orçamento prévio, e se tiver tempo peça para o orçamento ser feito na hora;
3)     Peça para ser especificado o defeito no orçamento e que peças serão trocadas;
4)     Se o orçamento for próximo de 50% do preço do produto novo saiba que está sendo usada a “lei dos 50%” e, portanto, pode ter quase certeza de que existe treta;
5)     Se a sua resposta ao orçamento for negativa, nunca passe isto por telefone, pois você corre o risco de ter seu produto depenado. Faça isto pessoalmente e de preferência já com o produto em mãos, com o técnico explicando qual conserto pretende fazer;
6)     Se você achar caro, escolha uma Assistência Técnica, num bairro popular, pois os preços sempre se adaptam ao seu público;
7)     Para conseguir preços ainda mais baratos escolha uma Oficina Popular tipo “conserta tudo”, não autorizada do fabricante, mas que tenha peças originais, localizada em bairros ou mercados populares.

As oficinas populares tipo “conserta tudo” tem preço em conta, pois vivem somente de consertos fora da garantia não tendo que consertar produtos em garantia. As peças de reposição normalmente não são compradas dos fabricantes, mas retiradas de produtos sem conserto da mesma marca que são comprados por preços muito mais em conta do que dos fabricantes.

E SE NÃO CONSEGUI CONSERTAR O PRODUTO

            Se depois de seguir os passos acima não consegui consertar o produto por um preço em conta, da próxima vez que for comprar não compre da mesma marca, pois aí você estará premiando um fabricante pelas suas práticas desonestas. Faça também um boicote à marca, nunca mais comprando desta marca e sempre falando mal da mesma para terceiros.

            Quanto ao produto, doe para uma pessoa sem recursos, pois terá muito mais facilidade do que você, para consertar por um preço em conta, ou mesmo vender o produto no estado para uma destas oficinas populares.

Tem muitos outros artigos legais neste Blog, vá para o Índice ou para o Início, ou se quiser mais detalhes sobre este assunto entre em Contato.

            Veja também:

9 comentários:

  1. Gente... não levem em conta o que o autor postou... não diz nada com nada... péssimos conselhos. Além do incentivo a sonegação de impostos e contrabando (camelô da uruguaiana) muitos prestadores nem CNPJ tem, e corre o risdo de você voltar no estabelecimento no dia seguinte e ele não estar mais lá..., não existe lei dos 50%... e sim a média beira os 30% do valor do produto, porém existem peças que tem seu valor um pouco mais alto, seu valor são superiores ao valor do produto inviabilizando o reparo do mesmo. Não tem problema algum consertar em "conserta tudo" uma vez que se conheça a qualidade do serviço e origem das peças de reposição. E pode-se não autorizar o reparo por telefone, pois se você deixou em um local conhecido e de confiança com certeza eles não terão a necessidade de sucatear seu aparelho( até porque mais tarde você ficará sabendo)- se você não tem confiança, nem passe por perto, simples assim. Porém é sempre bom procurar a autorizada da marca,além das peças originais com preço mais acessível (pois vem originais direto do fabricante sem atravessadores) e mesmo depois da garantia o fabricante faz o acompanhamento de cada produto tanto para fidelização da marca, quanto para pesquisa de pós venda e controle de qualidade da marca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia,

      Publico o seu comentário, pois aqui é um espaço democrático.

      Mas vê-se claramente que você deve representar uma parte interessada, provavelmente uma Assistência Técnica Credenciada de alguma fabricante.

      Você não entende nada do assunto e provavelmente nunca consertou algum produto fora da garantia e por isto dá conselhos que não tem nenhuma utilidade prática, além de afirmar que os conselhos do Blog são inúteis.

      O incentivo a sonegação de impostos e contrabando é por sua conta, pois o que falo é quase óbvio, que nos bairro ricos e nas Assistências Técnicas Credenciadas o preços que se paga pelo conserto é absurdo, muitas vezes acima de 50% do valor do produto novo.

      Por isto aconselho a procurar outros tipos de prestadores de serviços em bairros mais populares, pois são pessoas que vivem de conserto, e por isto cobram preços competitivos e se esforçam na qualidade para manter seus clientes.

      Se você chama estes trabalhadores, que suam sua camisa, para ganhar um dinheiro miudo, de sonegadores e contrabandistas é porque certamente você deve fazer parte de uma classe abastada que não tem que suar a camisa para ganhar dinheiro.

      Você também defende as Assistências Técnicas Credenciadas dizendo que a média de preço é 30% do valor do produto, que não é verdade, como se mesmo que fosse os 30% seria um preço barato. E acrescenta que este preço é por causa do alto preço das peças de reposição.

      Pois bem, os preços são caros, pois mesmo se somente tem um fio rompido dentro do produto, a Assistência Técnica normalmente fala que a placa eletrônica do produto que está queimada. Esta prática inclusive já comprovada por várias rêdes de TV e jornais que fizeram experiência neste sentido. Isto não é a exceção, mas sim a regra. Exceção é aqueles que afirmam corretamente o defeito.

      Também quando você culpa o preço caro das peças, esquece que isto é política do fabricante para incentivar o consumidor a jogar fora o produto e comprar um novo. É a famosa sociedade do consumo e desperdício, muitas vezes aplicada pelos menos fabricantes que se dizem ecologicamente corretos.

      Quando você fala de local conhecido e de confiança, você esquece que a maioria dos consumidores, quando tem um problema destes nunca esteve numa Assistência Técnica Credenciada, e tem que procurar uma no manual do produto. Portanto, conhecido e de confiança é inexistente.

      Quanto ao processo que algumas Assistências Técnicas Credenciadas tem de sucatear aparelhos é outra coisa amplamente divulgada em experiências feitas por jornais e TVs. Não é novidade para ninguém e é feito de forma descarada, já que a maioria dos consumidores jamais vai perceber, até porque se ele rejeitou o conserto, provavelmente irá jogar o produto no lixo.

      Quanto ao conselho de procurar Assistência Técnica da Marca, esquece que muitas vezes para economizar dinheiro estas assistências também usam peças piratas ou sucateadas de outros aparelhos. A fiscalização do fabricante na maioria das vezes é inexistente, portanto elas se sentem livres para agir da forma que traga o maior lucro possível.

      Também em relação a ter menor preço de peças de reposição é uma falácia, pois eles aproveitam a fragilidade do consumidor, que muitas vezes só tem uma Assistência Técnica Credenciada no bairro ou até mesmo na cidade, para meter a mão e cobrar o maior preço possível. Só existe preço justo com concorrência que não é o caso das Assistências Técnicas Credenciadas que são um monopólio.

      Este fabricante que faz um acompanhamento de produtos após a garantia é um fabricante idealizado na sua cabeça, pois na prática ele não existe.

      Na realidade o processo é exatamente o contrário, o fabricante quer pagar o mínimo possível para a Assistência Técnica em consertos dentro da garantia e, em compensação, libera a Assistência Técnica para cobrar o que bem entende do consumidor fora da garantia.

      Excluir
    2. Neste jogo o Fabricante ganha, pois paga pouco pela garantia e garante que muitos cliente irão desistir de consertar o produto e comprar um produto novo.

      Quanto a fidelização da marca, na prática a maioria dos produtos é descartável, e portanto o cliente já está acostumado com isto e sabe que pouco adianta mudar de marca. Ele é muito mais movido pela publicidade do que pela qualidade efetiva do produto.

      Excluir
  2. ae sim resposta na la !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio.

      Fique a vontade de colocar dúvidas, sugestões ou críticas.

      Excluir
  3. Parabéns pelo blog, quem sabe assim muitos não mudam a maneira de tratar as pessoas, hoje um empresário precisa de mais livros de filosofia do que livros técnicos, essa Marcia deve ser de Brasília - DF

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio.

      Fique a vontade de colocar dúvidas, sugestões ou críticas.

      Excluir
  4. Coloquei um aparelho celular(do filho do meu patrão) na assistência, já estava fora da garantia, coloquei nessas lojas autorizadas (sem ser da marca), ela fica perto da minha casa e a minha mãe conhece o dono.
    Deixei lá pra fazer um orçamento, ele fez disse que o problema era a Placa e que demoraria 30 dias pra trazer e o valor seria R$ 100,00, ai meu patrão autorizou, ficou tudo certo (porém por conhecer minha mãe ele não deu nenhum papel, já fizemos outros serviços lá e nunca deu problema).
    Depois de mais de 30 dias, ele ligou dizendo que estava pronto, ai depois de 2 dias a minha mãe foi lá pegar, ai começou com uma conversa que não sabia onde tava e enrolando, no fim depois de mais de 01 semana, ele falou que o aparelho tinha sido Roubado pelo funcionário dele, ele disse que ia ver se achava um igual ao que eu deixei lá (usado), senão ele compraria um novo. Passou mais 30 dias, minha mãe sempre passava lá e perguntava se ele já tinha resolvido, ele dizia até semana que vem, sempre era isso. Só que um dia ele disse que o aparelho já estava lá, ela podia passar lá.
    Beleza né, senti um alivio, afinal o celular é do filho do meu patrão, já estava sem jeito com essa situação.
    A surpresa foi quando ela foi pegar o celular ele disse que tinha que pagar o conserto de R$ 100,00 (do 1º aparelho) , haaaa ??????? Como assim ?? Mandei ela vir embora que eu ia pensar num jeito de resolver, se está certo isso ou não.
    Ele diz que esse aparelho que ele conseguiu usado, tava bom e ele ia dar a garantia de 03 meses, então tem que pagar os R$ 100,00.
    Pedimos a Ordem de Serviço do 1º ou algum papel que comprovar-se algum né, ele disse que só daria quando efetuar-se o pagamento.

    Eu te pergunto Márcio, isso é certo? Tenho que pagar pela assistência de um aparelho roubado pelo próprio funcionário ?
    Essa bronca toda já vem rendendo desde antes do carnaval.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como você não tem nenhum comprovante do serviço, o ideal é aceitar a proposta dele, mesmo não sendo muito justa.

      Depois com a ordem de serviços em mãos, que você tem que exigir junto com o pagamento, você pode entrar contra eles no Juizado de Pequenas Causas (Juizado Especial Civil) pedindo a devolução do valor do celular e do valor do serviço pago, já que foi entregue um aparelho diferente daquele deixado para conserto, além de uma indenização por Danos Morais. Veja como proceder no seguinte artigo:

      http://www.resolvaja.com/2009/11/juizado-de-pequenas-causas.html

      Excluir

Coloque aqui sua dúvida, sugestão ou crítica.